Outubro 2013
 

Prezados leitores

A discussão sobre o tema qualidade e desempenho acontece há muito tempo. Somente agora tem encontrado um ambiente propício para discussão, com o crescimento do mercado da construção e a abertura a novas tecnologias. Foi com o lançamento recente da NBR 15575 – “Edificações Habitacionais – Desempenho” que esses anseios se tornaram concretos. Espera-se uma mudança de cultura na engenharia e uma melhoria na relação de consumo no mercado imobiliário.

Nesse newsletter, abordaremos alguns itens importantes relacionada a impermeabilização de estruturas de concreto e vida útil de projeto prevista na NBR 15575. Também apresentamos cases de sucesso como a impermeabilização da laje de subpressão do edifício VG FUN Residence (CE); mais um estádio da copa com Penetron: Arena Fonte Nova (BA); tratamento das juntas de concretagem de decantador da ETE Arrudas (COPASA-MG); proteção e impermeabilização da ETE Espinheirinhos (Águas de Joinville – SC); impermeabilização das paredes diafragma dos subsolos do Hospital Alemão Osvaldo Cruz (SP).

Boa leitura a todos!

 

Norma de Desempenho – NBR 15575 /2013

 
     
 

VG Fun Residence – Fortaleza – CE

 
 

Arena Fonte Nova Itaipava – Salvador – BA

 
 

Hospital Alemão Osvaldo Cruz – São Paulo – SP

 
 

ETE Arrudas (COPASA) – Belo Horizonte – MG

 
 

ETE Espinheirinhos – Joinville - SC

 
 

LINHA 4 DO METRÔ DO RIO DE JANEIRO

 
siga-nos
   
Norma de Desempenho – NBR 15575/ 2013

Nessa norma, são apresentados os conceitos de comportamento em uso e vida útil de projeto dos componentes e sistemas das edificações.

A NBR 15575 estipula prazos de Vida Útil de Projeto (VUP) em três diferentes níveis: mínimo, intermediário e superior. Por exemplo:


Anexo A – Tabela C.6

Muitos elementos da fundação ou que se encontram no subsolo, como cortinas contra barranco, lajes de subsolo ou subpressão, poços de elevador, reservatórios inferiores enterrados, necessitam de impermeabilização contra a pressão negativa da água do solo. Na maioria dos casos, a única maneira de impermeabilizar esses elementos é utilizar o próprio concreto como elemento de impermeabilização. Somente o sistema de cristalização integral Penetron permite obter um desempenho elevado quanto a estanqueidade e atender a Vida Útil de Projeto exigida para a estrutura principal. Os materiais de cristalização Penetron são de base mineral e não se deterioram com o tempo; apresentam maior durabilidade do que materiais de base polimérica e betuminosa, aplicados na forma de manta pré-moldada ou líquida. Os materiais de cristalização integral Penetron duram tanto quanto a estrutura de concreto.

A norma fala também da estanqueidade à água de pisos sujeitos à umidade ascendente: “Os sistemas de pisos devem ser estanques à umidade ascendente considerando a altura máxima do lençol freático prevista para o local da obra”. Penetron impede tanto a umidade ascendente quanto a pressão exercida pelo lençol freático na laje (laje de subpressão) bloqueando os poros e capilares do concreto com uma rede de cristais insolúveis.

Em caráter informativo, a norma sugere VUPs para diversos outros elementos e componentes da construção. O prazo de vida útil inicia-se na data de conclusão da edificação, no Habite-se. Quanto a impermeabilização, a norma fala:


Anexo A – Tabela C.6

Quanto maior for a dificuldade de manutenção, maior é a VUP para o sistema de impermeabilização do projeto.

Os sistemas de cristalização especificados por projeção de Penetron ou adição de Penetron Admix são de fácil manutenção, quando necessário, requerendo somente um tratamento pontual. Apresentam alta durabilidade. Não é necessário remover o material aplicado ou reaplicar outras demãos. Além disso, oferecem os seguintes benefícios:

  • Torna-se parte integrante do concreto
  • Penetra profundamente e sela os vazios capilares e fissuras de retração passiva no concreto.
  • Pode ser aplicado na face positiva ou negativa do concreto.
  • As propriedades de impermeabilização e resistência química se mantêm intactas mesmo se a estrutura for danificada.
  • Altamente eficaz contra pressões hidrostáticas elevadas (> 70m). 
  • Fácil de aplicar e adicionar.
  • Não pode ser separado nas juntas, rasgado ou perfurado
  • Sela fissuras passivas até 0,4 mm de abertura. Não se limita a disfarçar ou cobrir as fissuras.
  • Aberto à difusão de vapor, evitando o acúmulo de vapor e deixando o concreto completamente seco.
  • Resistente aos ataques químicos - pH de 3 a 11 em contato permanente, e pH de 2 a12 em contato esporádico - e assegura proteção contra águas subterrâneas agressivas, água do mar, cloretos, sulfatos e nitratos.
  • Não é tóxico. Aprovado para aplicações em água potável. (NSF 61 e Adolfo Lutz)
  • Não possui VOC (compostos orgânicos voláteis) atendendo as obras com certificação LEED.

Um guia orientativo da NBR 15.575 pode ser obtido no link http://www.cbic.org.br/sala-de-imprensa/apresentacoes-estudos/norma-de-desempenho-3

   
VG Fun Residence – Fortaleza – CE

O VG Fun Residence é o primeiro residencial de praia de Fortaleza com serviços e apartamentos com vista para o mar da Praia do Futuro, junto ao Vila Galé. O VG Fun Residence será um marco no mercado imobiliário da Praia do Futuro e de Fortaleza. Está sendo construído pela Diagonal/ Rossi, em uma área de 10.000m2, dos quais mais de 7.400 m2 serão destinados ao lazer dos condôminos. O  projeto vai trazer à capital cearense um modelo totalmente inovador. Com  características e serviços inéditos, os moradores poderão desfrutar dos serviços  do hotel cinco estrelas Vila Galé Fortaleza, por meio de “pay-per-use”, uma 250 maiores empresas hoteleiras mundiais.

A Penetron se orgulha de ter participado desse empreendimento na impermeabilização de todo o subsolo de aproximadamente 7.000m2, com a adição de Penetron Admix ao concreto da laje de subpressão e cortina ao lado do mar.


Foto da laje e cortina sendo executadas.


Foto da laje de subpressão sendo executada


Foto atual do VG Fun Residence


Foto ilustrativa do empreendimento.

   
Arena Fonte Nova Itaipava – Salvador – BA

Salvador é uma das sedes da Copa do Mundo 2014 e terá 6 jogos na competição. Atualmente conhecida como Itaipava Arena Fonte Nova, supera e muito a proposta tradicional de um estádio de futebol. Primeiro, porque além de estar preparada para receber as competições mais importantes do esporte mundial, a Arena também credencia a cidade de Salvador a entrar de fato no circuito nacional e internacional de grandes shows musicais e eventos culturais. O conceito multiuso é justamente essa capacidade de realizar os mais diversos tipos de eventos, gerando emprego e negócios durante o ano inteiro.

Sua estrutura mais verticalizada, permite uma proximidade muito maior entre o espectador e o campo. Em sua área interna, a Arena ainda conta com 2 mil vagas de estacionamento, 50 mil assentos cobertos, Camarotes Premium que também funcionam como escritórios empresariais, 39 quiosques de alimentação, 12 elevadores e espaço para cadeirantes na arquibancada, facilitando o acesso de todos.

Tudo isso acompanhado de perto pela consultoria de um dos mais bem sucedidos modelos de gestão da Europa, implantado pela Amsterdã Arena, casa do AFC Ajax, da Holanda.

A laje de subsolo e os reservatórios inferiores foram impermeabilizados com a adição de Penetron Admix no concreto e o tratamento das juntas de concretagem foi feito com a fita hidroexpansiva Penebar SW55.


Estádio em construção


Vista aérea da Arena Fonte Nova

   
Hospital Alemão Osvaldo Cruz – São Paulo – SP

Em dezembro, o Hospital Alemão Oswaldo Cruz concluiu as obras do novo prédio denominado Bloco E. Com um investimento de R$ 240 milhões, a instalação acrescenta 29.500 mil m² de área construída ao complexo hospitalar, que contará com total de 96 mil m² no bairro do Paraíso, região sul de São Paulo.

Seguindo a estratégia de crescimento sustentável do Oswaldo Cruz, o novo edifício foi construído de acordo com rigorosos critérios ambientais estabelecidos pela LEED™ (Leadership in Energy and Environmental Design). O objetivo é obter a certificação e ser referência nesse tipo de construção no Brasil.

O projeto de engenharia e arquitetura é assinado por Botti Rubin e o gerenciamento, realizado pela MHA e a construído pela RACIONAL. Trata-se de um edifício vertical, com 5 subsolos e mais 19 andares, para abrigar centros cirúrgicos, UTIs e quartos de internações.

A Penetron Brasil foi convidada a apresentar uma solução para impermeabilizar as juntas de concretagens, tirantes e o concreto da parede diafragma do quarto e quinto subsolo. Os materiais utilizados foram o Waterplug, para tamponamento rápido de fluxo d’água, o Penecrete Mortar, para reparo estrutural e selamento de juntas de concretagem, e o Penetron para impermeabilização definitiva.


Vista da parede diafragma com infiltração e tamponamentos com Waterplug.


Vista de parede impermeabilizada com Penetron

   
ETE Arrudas (COPASA) – Belo Horizonte – MG

Recentemente, a Andrade Gutierrez iniciou o projeto de ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Arrudas, da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa-MG). A obra, com conclusão prevista para setembro de 2014, contribuirá para a despoluição do Ribeirão Arrudas e do Rio das Velhas.

O contrato prevê a execução, com fornecimento total de materiais e equipamentos, das obras e serviços civis, mecânicos, elétricos e de automação necessários para a ampliação e a implantação de melhorias no processo de tratamento da ETE Arrudas.

O grande desafio desse empreendimento é realizar as obras com a estação em pleno funcionamento.

Para garantir melhor desempenho das estruturas, as juntas de concretagem foram tratadas preventivamente com a fita hidroexpansiva, Penebar SW55. Essa fita é um veda juntas que se expande mais de 150% impedindo a passagem da água. Foi testada a pressões de até 60 mca. Veja fotos abaixo da junta de concretagem do decantador.


Aplicação do Penebar SW Primer na junta de concretagem


Instalação do Penebar SW55 sobre o concreto da junta


Vista lateral da junta tratada com Penebar SW55

   
ETE Espinheirinhos – Joinville - SC

Com a inauguração da ETE Espinheiros no final de 2012, o esgoto do bairro – que era lançado nos rios e manguezais da região –, hoje é 100% tratado. A entrada em operação da nova ETE trouxe mais qualidade de vida às pessoas, além de melhora da água e dos frutos do mar característicos do local.

Com investimento total de aproximadamente R$ 10 milhões e capacidade para atender mais de 10 mil pessoas, a nova (ETE), graças a seu sistema fechado, não apresentará mau cheiro quando em pleno funcionamento. “O sistema da ETE Espinheiros não exala odor. A Companhia Águas de Joinville contará com a tecnologia para operar a estação de forma ainda mais eficiente. O monitoramento remoto e equalizador farão da ETE Espinheiros a estação mais automatizada de Joinville, e uma das mais modernas do estado.

Para proteção do concreto contra o efluente e impermeabilização das estruturas, foi aplicado Penetron por projeção em todos os tanques, em uma área total de 1.500 m2. As juntas de concretagem (600 m) foram tratadas com aplicação da argamassa estrutural com cristalizante, Penecrete Mortar. O tratamento foi altamente eficaz protegendo as estruturas de futuras patologias a aumentando a sua durabilidade.


Vista interna de tanque impermeabilizado com Penetron


Vista geral da ETE Espinheirinhos

 

   
LINHA 4 DO METRÔ DO RIO DE JANEIRO

Devido ao aumento da demanda de transporte público e aos próximos eventos da Copa do Mundo 2014 e Jogos Olímpicos 2016, a cidade do Rio de Janeiro vem recebendo grandes investimentos em infraestrutura superando São Paulo.

Os investimentos na construção de metrô são os mais expressivos e novas linhas estão surgindo, como a Linha 4. Esta linha ligará a Barra da Tijuca ( zona oeste) a Ipanema (zona sul) e transportará mais de 300 mil pessoas por dia. A construção teve início em 2010 e deve ser concluida em dezembro de 2015. A linha 4 tem 16 km de extensão, com 6 novas estações.
A Penetron tem participado desse projeto fornecendo a fita hidroexpansiva Penebar SW55 e Penetron para impermeabilizar as juntas de concretagem dessas estações.


Estação Nossa Senhora da Paz no Leblon.


Detalhe da fita Penebar SW55 posicionada na junta de concretagem